quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Governo cede e tranforma reajuste do salário mínimo em lei!

De maneira equilibrada e coerente a bancada federal do PCdoB aceitou a proposta encaminhada pela presidente Dilma do salário mínimo de R$ 545,00 para 2011. Entretanto, o governo cedeu e transformou em lei as regras para reajuste do salário mínimo, que agora, pela primeira vez em mais de 70 anos, não vai ser regido por medidas provisórias ou decretos, mais virá da soma da inflação mais crescimento do PIB, que dará em 2012 aproximadamente 14% de aumento.
A liderança comunista também avaliou que seria importante que a primeira votação do novo governo fosse vitoriosa, no sentido de fortificar e viabilizar uma ampla base de apoio. Mesmo assim, ficou o recado: o governo tem que discutir o rumo da política econômica que, pelas últimas medidas, indicam um rompimento nos avanços do governo Lula.
MOVIMENTO SOCIAL E SINDICAL COM CARACTERÍSTICAS PRÓPRIAS
Já os movimentos sindicais e sociais ligados aos comunistas devem recrusdecer nas mobilizações contra o aumento dos juros, o baixo nível de investimento público e os privilégios da especulação financeira.
A idéia é que os estudantes, trabalhadores e intelectuais mobilizem forças no sentido de disputar e polemizar com a nova ortodoxia dos "sociais-monetaristas".

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Debate sobre a FAPEMA.



Debate sobre o "papel social e político da FAPEMA para o Maranhão".
Onde: Auditório do CECEN na UEMA.
Quando: dia 15, terça feira, às 16:00h

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

PCdoB fecha questão com as centrais sindicais e indica mínimo de R$580,00.





O PCdoB vai votar por um salário mínimo de R$ 580,00, valor defendido pelas centrais sindicais, muito superior ao que propõe o governo Dilma de apena R$ 545, 00. Na compreensão dos comunistas, o governo socialdemocrata da Dilma deveria compensar os trabalhadores assim como compensou o grande capital financeiro com o aumento de juros, corte de investimentos e diminuição do crédito!


Não é justo os trabalhadores pagarem sozinhos a conta da farra financista! Mas, perguntamos, aonde Dilma quer levar o país? Eleita para avançar nas conquistas do governo Lula, Dilma retorna ao passado e adota uma macropolítica ortodoxa e monetarista de acordo com os princípios do neoliberalismo.


Juros altos, corte nos investimentos públicos, incapacidade de tratar do câmbio - leia-se: Banco Central "independente", nas mãos dos especuladores transnacionais - estrangulamento do crédito, aumento da dívida pública, etc..


E o pior que não se trata da desculpa de "correlação de forças", uma vez que possui amplo apoio político, diferente das gestões do seu anterior. Ao que parece, Dilma vai mesmo se contentar em gerenciar o capitalismo periférico brasileiro, sem, no entanto, tratar dos seus problemas estruturais.


Se ela já tivesse dito isso desde as eleições, tudo bem ! Agora vir com esse programa depois de eleita e querer dar uma de "dama de ferro" para cima dos trabalhadores não !


José Serra e o PSDB têm mais competência e knowhow nessa área. Pelo menos eles são sinceros em seus programas direitistas!!!

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Roberto Costa para o prêmio FAPEMA!





Caros leitores.


Em um estado onde os índices de miséria e pobreza estão nos níveis do Haiti. Onde a educação é tratada com descaso, sem escolas, sem salários, sem carreira. Onde os índices de analfabetismo são os maiores da república. Onde a decapitação de prisioneiros é a "lei dos presídios"... Qual é o espaço para a ciência e a tecnologia?


Ora, a C&T no Maranhão das oligarquias são tentáculos da fraude, da corrupção, da barganha e do cumpadrio. A questão da FAPEMA é apenas a ponta de um iceberg de corrupção que entranha no aparelho estatal maranhense.


E o que é mais interessante é a defesa das irregularidades. Por exemplo: o Deputado Roberto Costa (PMDB), aquele associado às agressões nos lançamentos do livro "Honoráveis Bandidos" em São Luís e Imperatriz, ex diretor da famigerada UMES, é agora o "defensor" da C&T maranhense.


Era só o que faltava! Um boçal que mal sabe se expressar, que se atrapalha até nas questões mais simples de concordância de número e nos tempos dos verbos, que tem no seu currículo político apenas ser "afilhado" de João Alberto, falar em defesa da ciência do estado é brincadeira!


E como ele apareceram vários blogueiros fâmulos com o mesmo discurso... Só no Maranhão distorcido pela exploração secular do domínio oligárquico! Só no Maranhão dos mandonistas, onde a lei da força e da barbárie ainda imperam!


Sugiro que Roberto Costa receba o prêmio FAPEMA pela defesa e promoção da C&T do estado! Acredito que ele está adequado ao nível de desenvolvimento intelectual das nossas atuais elites dirigentes. Sugiro mais, que ele seja indicado a Academia Maranhense de Letras!


Vamos convidar também o secretário geral do PT e assessor do vice governador Fernando Magalhães e o secretário executivo Paulo Romão para receberem o Prêmio FAPEMA de Inovação! Afinal, não é qualquer um que, sem nenhum vínculo com pesquisa, consegue receber bolsas de "Auxílio a Pesquisadores".

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Governo Dilma vacila: aumenta os juros e endurece com os trabalhadores!




Os primeiros meses do governo Dilma não tem sido nada agradáveis para os trabalhadores. Em que pese sua eleição ter ocorrido em confronto direto com a extrema direita e ter angariado amplas forças políticas e sociais, não tem demonstrado, até agora, que tem pretensões mudancistas, no sentido de ampliar as conquistas do governo Lula.


Duas questões concorrem para isso: as opções econômicas e políticas.


No que diz respeito à economia, o recente aumento na taxa de juros e o discurso da presidenta no sentido de "manter a todo custo o controle da inflação" retoma os velhos dogmas do neoliberalismo estagnacionista. Senão vejamos.


O aumento da taxa de juros eleva a dívida pública, favorece a transferência de renda para o setor financeiro - esse sim, o principal parasita da economia - e retira os investimentos das áreas produtivas que são os maiores geradores de emprego.


Se não bastasse isso, ainda há a elevação cambial artificial, fruto da especulação transnacional, na medida em que, mais dólares entram, ganham com os juros altos e vão embora, drenando as riquezas nacionais.


Quanto a inflação ela deve ser entendida como parte do processo de crescimento, principalmente do investimento. Como sinaliza Elias Jabbour em recente artigo publicado pela Fundação Maurício Grabois: "o crescimento levará sim ao crescimento da demanda sem a necessária contrapartida imediata da oferta. Virá a inflação, certamente. Mas existe o momento em que a relação entre a oferta e a demanda tende a necessária estabilidade através do crescimento econômico".


E conclui afirmando: "a inflação é um fenômeno cíclico, parte integrante do processo e não uma anomalia". "Seu 'combate progressista' se dá pela manobra planificada da variável "taxa de investimento". Ora, como Dilma espera combater a inflação sem aumento real nos investimentos? Através da recessão e da estagnação econômica? Esse remédio neoliberal é aquele que mata o doente com a desculpa de acabar com a doença.


A experiência recente do governo Lula mostra que o caminho para quebrar esse ciclo estagnacionista é a ampliação do crédito, aumento real de salário - sobretudo o mínimo -, a elevação do consumo das famílias e da taxa de investimento.


Já na política o governo Dilma faz a opção pela direita ao estabelecer como pólo principal da coalizão governista a aliança com o PMDB. Representante das oligarquias regionais e ávido por cargos, o PMDB não oferece conteúdo programático compatível com os desafios que o país enfrenta. Sustenta o governo em troca de controle orçamentário. Assim o PT abre mão do debate programático e opta por gerenciar o neoliberalismo econômico que impede o nosso desnvolvimento.


A promessa de avançar para além do governo Lula é, por enquanto, apenas uma promessa.


Ainda é cedo para afirmar se o governo Dilma vai demonstrar capacidade de romper com os grilhões políticos e ideológicos do neoliberalismo e prover nosso país de um projeto de desenvolvimento nacional ou vai fracassar como 'gerente' do neoliberalismo, aos moldes de Michelle Bachelet no Chile. O resultado todos nós sabemos: o retorno do "filhote" de Pinochet ao governo central.


No entanto fica o recado: Dilma foi eleita para mudar e avançar! Caso contrário, enfrentará dificuldades entre aqueles que defenderam seu programa.
* Baseado na intervenção do presidente nacional do PCdoB Renato Rabelo no Curso Nacional de Formação.

sábado, 5 de fevereiro de 2011

Notas internacionais.

DOIS PESOS E DUAS MEDIDAS.
Os eventos que agora sacodem a Tunísia e o Egito eram completamente ignorados pela grande imprensa. Quem está acostumado com a "censura" imposta pelos oligopólios de comunicação percebia que, antes das revoltas, só havia uma ditadura no mundo islâmico: o Irã!
Agora, do dia para noite, "apareceram" novas ditaduras! Como assim? Por que não apareciam nos grandes jornais? Por um simples motivo: as classes dominantes locais defendiam fielmente os interesses das transnacionais e do imperialismo, notadamente o norte americano.
Assim fica fácil. Quem é a favor dos EUA e lacaio dos seus interesses não é acusado de ditadura. Esse clichê midiático ficou somente para quem busca uma posição autônoma nos destinos dos seus países.
CONTRA A EXTRADIÇÃO DE CESARE BATTISTE.
Ganha força a tese de que as acusações contra Cesare Battiste são de fato políticas, por isso ganha força a defesa da sua não extradição para Itália. Ora, a Itália é governada por um pedófilo assumido, que tem por hábito contratar prostitutas menores para orgias em prédios públicos. Quando a promotoria pediu ao senado permissão para investigar Berlusconi foi negado. Ou seja, a pesar de todos os indícios nada vai acontecer ao homem mais rico da Itália.
E agora, se não bastesse esse escândalo capaz de deixar qualquer prefeito do interior do Maranhão com cara de santo, o primeiro ministro ainda vem a público defender o ditador e ladrão dos cofres públicos Hosni Mubarack do Egito.
A Itália e seu governo, portanto, defendem ditaduras, ladrões e pedófilos! Não podemos entregar Battisti a esses mafiosos.

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Blogue do Luís Cardoso: "o foguetão de Ricardo Murad vai para o espaço".



O blogueiro Luís Cardoso fez a melhor foto-piada do momento. No foguete acima o piloto-comandante é o Ricardo Murad, co-pilotos Manoel Ribeiro e Antônio Pereira.
Seguem na tripulação os deputados Rigo Telles, César Pires, Carlos Filho, Vianey Bringel, Graça Paz, Valéria Macêdo e Roberto Costa.
E por "lealdade", se "apegaram ao rabo do foguete" os jornalistas Décio Sá e Caio Hostílio.
Destaque para a posição dos deputados pedetistas nesse foguete.