quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Exórdio ao 65.

Foto: Marden Ramalho.


A contradição maranhense.

Como explicar a contradição entre um estado rico e cheio de potencialidade e, ao mesmo tempo e sobre vários aspectos, com índices sociais tão dramáticos e calamitosos? Por que o Maranhão está há décadas sem encontrar o caminho para o desenvolvimento? O que ou quem atrasa o desenvolvimento social do Maranhão?

O cerne da profunda contradição maranhense é a questão do poder político! Os impasses e dilemas do desenvolvimento social do Maranhão sempre esbarraram no pacto das oligarquias para dividir o poder no estado. O ponto central do nosso atraso social e econômico é a forma como a política maranhense ficou marcada pelas relações de poder das oligarquias, resultando na incapacidade de transformar as potencialidades do estado em ciclos de desenvolvimento sustentável. São décadas e décadas de descumprimento das leis, de aplicação ineficiente do dinheiro público e de práticas patrimonialistas, misturando o público e o privado, deixando essa “herança maldita” para os contemporâneos.

A luta entre as oligarquias, da situação e da oposição, desenrola-se há quase um século sem, no entanto, haver nenhuma diferença fundamental entre os grupos no exercício do poder do Estado. Eles não se diferenciam nas práticas políticas e na gestão da coisa pública. Pelo contrário. É justamente na gestão do aparelho estatal, no exercício do poder político, que as semelhanças de classe afloram, de tal forma que - em governos sarneístas ou anti-serneístas- tudo permanece igual, apenas com o sinal trocado.

Essa tentativa de reduzir o debate político maranhense aos dois grupos oligárquicos representa os interesses de classe das atrasadas elites maranhenses, uma vez que configura como único universo de discurso possível a luta intra-oligáquica. Com isso a aristocracia pretende afastar como ilegítima qualquer outra possibilidade política de mudança, excluindo importantes setores sociais da luta pelo poder do Estado, reforçando o 'eterno retorno intra-oligárquico' e dando seqüência ao ciclo de poder secular das classes mandonistas no Maranhão.

É necessário, portanto, ter claro a centralidade do desafio político para promover o rompimento desse modo atrasado de fazer política em nosso estado. É preciso quebrar o ciclo intra-oligárquico e introduzir novos setores sociais que sempre foram mantidos ao largo da disputa pelo poder do estado. São justamente os setores que almejam a mudança efetiva e as transformações nas relações de poder no estado os mais interessados em romper com o ciclo do atraso. São os movimentos sociais organizados, os camponeses, setores médios do empresariado, intelectuais, artistas, acadêmicos e o proletariado urbano. São esses os segmentos que reúnem as condições democráticas, progressistas e de esquerda para quebrar o poder das oligarquias.

É necessário, portanto, elevar a intensidade da luta política apresentando ao povo um programa alternativo que consiga unificar desenvolvimento, justiça social e garantia dos direitos fundamentais do cidadão. É preciso que os ventos da mudança, da renovação e da transformação soprem nas terras maranhenses. O tempo da política é o relógio que indica o caminho da mudança: nós precisamos fazer a grande transformação não amanhã, mas hoje e agora, porque as vítimas do atraso têm pressa e não podem esperar mais.

Por tudo isso peço aos meus conterrâneos o voto no 65, que é o PCdoB, o Flávio Dino. Votar no 65 é fazer história e romper com o ciclo oligárquico e mandonista no Maranhão.

Dia 3 de novembro não esqueça: vote no 65 e em seus aliados para construir um Maranhão de todos nós.

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Flávio Dino convoca militância para reta final da campanha


Foto: Felipe Klamt.


Durante plenária realizada no comitê central da Beira-Mar, Flávio Dino, convocou os militantes para a reta final de campanha. Ele pediu que os eleitores e militantes que estçao engajados dediquem à campanha, na úlrima semana, "a mesma energia que dedicam às grandes coisas da vida". "Vamos abraçar esta última semana de campanha com a mesma paixão com que nos jogamos às coisas da nossa vida pessoal e familiar", pediu.

A plenária de militantes iniciou pouco depois das 19h e contou com apoio e a presença de diversas lideranças da capital e do interior do Maranhão, que reforçaram o apoio à candidatura de Flávio Dino para o governo do estado. Além de Flávio Dino, o ato político contou com a participação da candidata a vice-governadora, Miosótis, do candidato ao Senado José Reinaldo Tavares, de candidatos a deputado estadual e federal e de lideranças políticas e de diversos movimentos sociais de São Luís e do interior do estado. Durante o ato, foram distribuídos kits com material de campanha e também discutidas estratégias para a última semana de mobilização antes do segundo turno das eleições.

Flávio Dino foi recebido no comitê da Beira-Mar pouco depois das 19h com apitaço, foguetório e músicas de campanha. Enquanto o público gritava "Do meu futuro não abro mão, é Flávio Dino para mudar o Maranhão",Flávio Dino atravessou o comitê, cumprimentou vários militantes e posou para fotos ao lado de eleitores. Militantes petistas de São Luís também reforçaram o apoio a Flávio Dino. O vice-presidente do PT,. Augusto Lobato, disse que as próximas eleições marcarão o início de uma nova era no estado do Maranhão. "Aqui tem 70% da militância do PT, e todos eles apoiam Flávio Dino. A militância do PT tem o orgulho de estar ao lado de Flávio Dino. O PT é maior do que Lula e do que a direção nacional, e terá orgulho de eleger Flávio Dino governador", disse Lobato.

Apoios

A Fetaema, entidade que apoia Flávio Dino desde o início da campanha, também reforçou o engajamento na campanha e relembrou as eleições de 2006, quando o presidente Lula também pediu votos para a candidata Roseana Sarney. O presidente da Fetaema, Chico Sales, disse estar confiante na vitória de Flávio Dino. "O Lula pediu voto para a Roseana em 2006 e nem assim ela venceu no Maranhão. Desta vez, ela também não vai ganhar", disse Chico Sales. Ele justificou o voto em Flávio Dino lembrando as propostas do candidato para a agricultura familiar. "Hoje a agricultura, e em especial a agricultura familiar, não recebem incentivo e não tem apoio. O governo que aí está não tem condição de mudar a realidade e fazer com que o Maranhão deixe de ser um importador até de gêneros alimentícios", avaliou.

Ao falar à platéia, Miosótis lembrou o início da campanha eleitoral. "Quando discursei aqui, na inauguração do comitê, disse que tinha convicção de que Flávio Dino era um candidato capacitado para mudar o Maranhão, e hoje essa convicção só aumentou", disse ela. Miosótis pediu aos participantes da plenária que mantenham a empolgação com a campanha durante toda a semana que antecede o primeiro turno.

A vereadora Rose Sales (PCdoB) reafirmou aos presentes a sua crença na realização de um segundo turno das eleições entre a atual governadora Roseana Sarney e o deputado federal Flávio Dino. Rose agradeceu o apoio e o engajamento dos militantes na campanha. "Hoje nós temos profunda convicção de que Flávio Dino vai disputar o segundo turno. A campanha cresceu, e esse crescimento também é em grande parte fruto do trabalho da nossa militância, das pessoas que se engajaram voluntariamente na campanha e estão trabalhando por ela, disse Rose Sales.


Assessoria de Imprensa.

domingo, 26 de setembro de 2010

Flávio Dino lidera grande carreata em São Luís confiante de que estará no segundo turno




Confiante de que estará no segundo nas eleições do próximo domingo, dia 3, o candidato ao governo do Maranhão, Flávio Dino, liderou na manhã deste domingo uma gigantesca carreata pela ruas de São Luís. Os apoiadores do candidato saíram da praça Maria Aragão e percorreram os bairros da Liberdade, Alemanha, Bequimão, Residencial Pinheiros, Vila Fialho e Avenida Litorânea. Depois de mais de três horas de atividade, a carreata foi encerrada na Ponta D´Areia. Muita gente parou para cumprimentar Flávio Dino e declarar voto.


“Fico muito feliz com a receptividade das pessoas. É esse o sentimento por onde ano, seja na capital ou no interior. O sentimento da renovação e de que o nosso estado pode romper com o ciclo do atraso e desenvolver-se com justiça social”, afirmou Flávio Dino. O candidato disse estar confiante de que estará no segundo turno das eleições que ocorrerão no próximo domingo e pediu que todos os seus apoiadores sejam multiplicadores de sua mensagem nos seus bairros, com os amigos, com sua família e no seu local de trabalho. “É com a força da nossa militância, com a garra do povo maranhense, que vamos vencer essas eleições”, garantiu Flávio Dino.


Durante o percurso, era visível a aceitação ao nome de Flávio Dino. Muitas pessoas foram para a porta de suas casas para acenar para o candidato. Foi o caso da dona de casa Maria de Lourdes Lisboa, do bairro do Bequimão. “Não tem pra ninguém é Flávio Dino. Uma candidata já ta ai a não sei quantos anos e nunca fez nada o outro já teve a chance dele e também deu no que deu. Temos que acreditar no nome novo. Uma pessoa jovem, preparada para governar o nosso estado”, disse.


Outro também que disse que agora é “a hora e a vez de Flávio Dino” foi o comerciante Antonio Lisboa do bairro da Liberdade. “Não penso nem duas vezes. Não adiante inventarem coisa contra ele (Flávio Dino) porque eu voto nele”, afirmou. No decorrer da carreata, muita gente pedia material de campanha como bandeiras e cartazes para afixar em suas residências. Para Flávio Dino, a carreata deste domingo e as demonstrações de apoio são “uma prova de que o Maranhão não aceita mais tanta injustiça e atraso político”.


Logo após a carreta, Flávio Dino seguiu para Matões do Norte, São Mateus e Tuntun onde uma multidão aguardava para participar das atividades de campanha do candidato nessas cidades. Nesta segunda-feira, Flávio Dino retorna a São Luís onde participa no começo da noite de uma plenária com a militância. O objetivo do encontro é mobilizar os apoiadores nesta última semana de campanha.



ASSESSORIA DE IMPRENSA

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Poesia !!!

Orgulho

a primeira parte da história

foi trocar o meu nome por uma coisa qualquer
porque todas as coisas não têm importância

quando lia meus gestos no espelho
quando sonhava em perder meus sentidos
quando pedia pra perder o meu riso
só então eu entendia
que eu era o bandido
só então compreendia o vazio

o bom senso não me explica
a espera é um encantamento
que transborda

:marcos ramon

http://arcano5.blogspot.com/2010/09/orgulho.html

terça-feira, 21 de setembro de 2010

#ForaRoseanaSarney




Do blogue caquinho-de-mundo.

Finalmente volto a postar, um fato realmente fez esse retorno valer à pena. Desde junho sou adepta do Twitter, bem dinâmico, sempre cheio de coisas engraçadas e notícias atualizadas na velocidade que só o Twitter pode proporcionar. Bem, o fato que me fez voltar às postagens aconteceu hoje, mas já vinha se configurando há algum tempo: a personificação do movimento #ForaRoseanaSarney pelas ruas de São Luis.

Fato importante por vários motivos, o principal deles é um basta que começa a ser dado pela juventude, um basta à última oligarquia existente no país! O Maranhão é dominado, continuamente, há 45 anos pelo mesmo grupo político. Quando finalmente consegue respirar, a herdeira vai à justiça para tomar o que lhe é supostamente de "direito". (Bem feito pro Jackson, se rendeu ao que há de pior na política e perdeu o apoio da população e o governo).

Vamos ao que realmente interessa... desde o mês passado vem crescendo continuamente no twitter um movimento com a tag #ForaRoseanaSarney, tomou proporções tão grandes que chegou aos Trending Topics Brazil (Tópicos mais comentados do Twitter). Os criadores do movimento decidiram então levá-lo às ruas e organizaram - via Twitter - uma mobilização, a passeata surpreendeu pela quantidade de pessoas que aderiram ao movimento, algo entre 1,5 e 2 mil pessoas, que saíram pelas ruas da cidade, rumo ao Palácio dos Leões, gritando Fora Roseana Sarney! Foi algo lindo de se ver (pena que não pude participar, mas estou com meus bottons e vou usá-los durante a semana), vi as imagens no Youtube e em alguns blogs independentes.

Roseana Sarney foi à TV, em seu horário eleitoral, desqualificar os internautas, blogs e twiteiros que usam a internet para mostrar sua indignação contra um governo fajuto, que vive de propaganda, enquanto o Estado configura entre os mais pobres do país, pobre em tudo, educação, saúde, saneamento básico, infraestrutura. Por isso apoio totalmente o movimento.

Só mais uma informação, só porque ela tem dois adversários mais fortes da disputa eleitoral, não significa que as pessoas presentes estivessem ali em troca de pagamento. Obviamente muitos eram ligados a partidos adversários, mas a maioria esmagadora estava pelo prazer de gritar bem alto FORA ROSEANA SARNEY, O MARANHÃO NÃO A QUER MAIS!!!

Taí umas imagens que são um tapa na cara de quem disse que foi um fracasso...


Foto: Blog do Luis Cardoso


Foto: Blog do Kenard


www.mundocaquinho.blogspot.com

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

A HORA DA MILITÂNCIA.

Gerson Pinheiro.

Geógrafo e secretário do PCdoB-MA

Um espectro ronda o Maranhão, o sentimento de que é chegada a hora da mudança vai aos poucos ganhando força e as paliçadas do extenso e sólido reino do “Dono do Mar” começam a externar sinais de fadiga. Acostumados a iniciar as disputas eleitorais em patamar bem acima dos 50%, desta vez tiveram que amargar números que por curto período, levando em conta suas próprias pesquisas, atingiu esse percentual. Mesmo usando à exaustão a imagem do presidente Lula e da ministra Dilma Rousseff conseguem reverter a tendência de queda a cada nova pesquisa.

Além dos números, se consegue captar nas andanças por todas as regiões do Estado, uma imensa e intensa sede de libertar-se dos grilhões da oligarquia e recolocar o Maranhão nos trilhos do progresso e assim conquistar o direito de participar do processo de desenvolvimento vivido pelo restante do Brasil. Matracas e pandeirões anunciam: o Maranhão está preparado e ansioso por mudança.

No entanto, impérios não caem sem grandes batalhas, sem que no altar dos sacrifícios vidas e mais vidas sejam imoladas. Aqui já se contam aos milhares os que pereceram vítimas da pistolagem a serviço do latifúndio; por falta de água potável e tratamento de esgoto: barriga d’água, malária, lombriga; por falta de um mísero grão de arroz à mesa, quando tem mesa; por falta de atendimento médico etc. É urgente decifrar os segredos da esfinge, não podemos permitir que ela continue a devorar além das nossas vidas os nossos sonhos. Assim, as próximas gerações poderão, em fim, construir um futuro de progresso e desenvolvimento social.

Há um dito popular muito utilizado no interior do nosso estado. - “Não se deve cutucar a onça com vara curta”. Recorro a ele para convidar vocês militantes da mudança, companheiros do PT, PCdoB, PSB, PPS e dos movimentos sociais, não a “fugir da onça”, mas a alongar e fortalecer nossos instrumentos de luta. É hora de garantir que todo o acúmulo até aqui conquistado, a duras penas, não seja desperdiçado na reta final.

Voltando aos números da pesquisa, julgo importante frisar que, quando o IBOPE apresenta Roseana com 46% e Flávio empatado com Jackson, ambos com 21%, fica evidente que é previsível o segundo turno entre Flávio Dino e Roseana Sarney. Porem o adversário é muito poderoso e vai usar todos os seus trunfos. A fórmula para vencer é usar a única arma que só nos do campo progressista, só nos que apoiamos Flávio Dino temos: uma numerosa e aguerrida militância que transformará nossa campanha em uma imensa onda vermelha, nos levará ao segundo turno, a conquista do governo e varrerá a oligarquia do Maranhão.

sábado, 18 de setembro de 2010

Maranhão urgente: a esperança vencerá!

A eleição ao governo do Maranhão não está definida. Quem conhece minimamente a realidade do Estado aquilata que Roseana Sarney, mesmo liderando até este momento, a esta altura precisava e esperava estar assim como Eduardo Campo em Pernambuco e Cid Gomes no Ceará.

Em vão. Com o peso ostensivo da máquina, da manipulação, do controle (quase) total dos meios de comunicação, aparato de campanha monstruoso, imposição da força de governo sobre tudo e todos no Estado, ela só pode estar apreensiva. Sua campanha não acrescenta um ponto sequer nas pesquisas nas últimas semanas, malgrado a utilização total e acachapante das imagens de Lula e Dilma.

Ao contrário, Flávio Dino atropelou nestas duas últimas semanas, acrescendo 8 pontos, sinalizando que um segundo turno será contra ele, não Jackson Lago, que caiu 4 pontos. Flávio Dino, que se concentrou no interior no início da campanha, ainda tem reserva estratégica em São Luís, onde polarizou as eleições municipais há dois anos atrás.

A batalha estadual está, assim, em aberto. As expectativas estão mais acesas que nunca. O Maranhão merece e precisa se renovar, no rumo do que vem acontecendo no país com o governo Lula. Quarenta anos de um mesmo grupo político no Estado causaram estagnação e retrocessos. É hora de mudar, é possível mudar. Não é aspiração tão somente dos indômitos maranhenses, mas uma esperança nacional. A esperança tem nome: Flávio Dino, 65.


http://www.waltersorrentino.com.br/

terça-feira, 14 de setembro de 2010

COMÍCIO DA VITÓRIA EM SÃO LUÍS !!!




GRANDE COMÍCIO DA VITÓRIA!

NESTA QUINTA, DIA 16, ÀS 18:00h

PRAÇA DEODORO.

FLÁVIO DINO GOVERNADOR, MIOSÓTIS VICE, ADONILSON E JOSÉ REINALDO SENADORES E TODOS OS CANDIDATOS A DEPUTADOS FEDERAIS E ESTADUAIS ESTARÃO PRESENTES.

PC doB, PSB, PPS, PT E MILITANTES DOS MOVIMENTOS SOCIAIS.

VAMOS TODOS ! A CIDADE DE SÃO LUÍS VAI MOSTRAR QUE QUER A MUDANÇA E A TRANSFORMAÇÃO!

Crimes eleitorais de Roseana Sarney em Urbano Santos.

RANILTON ARAUJO AVELAR, SOCIOLOGO, ADMINISTRADOR DO BLOGUE URBANO SANTOS ON-LINE, www.urbanosantos.blogspot.com
FAÇO 3 DENUNCIAS:
1. AMBULANCIA DA APAE DE BELÁGUA ADIQUIRIDA COM RECURSOS PUBLICOS PARTICIPANDO DE CARREATA DE ROSEANA SARNEY EM URBANO SANTOS DIA 12 DE SETEMBRO
2. CARROS DE CAMPANHA DE EDILÁSIO E ROSEANA SARNEY INTERDITANDO VIA PÚBLICA EXATAMENTE ONDE ESTAVA SENDO UMA OBRA DE ASFALTAMENTO PELA PREFEITURA COM RECURSOS REPASSADOS PELO GOVERNO DO ESTADO EM URBANO SANTOS, DIA 04 DE SETEMBRO.
3. DISTRIBUIÇÃO DE CESTAS BÁSICAS PELA PREFEITURA EXATAMENTE NO MESMO DIA EM SARNEY FILHO FEZ COMICIO EM URBANO SANTOS, DETALHE A MAIS DE 4 MESES NÃO SE DISTRIBUIA ESTAS CESTAS DE UM PROGRAMA MUNICIPAL INTITULADO "COMIDA NA MESA", A ESTRATEGIA ERA TRAZER O MAIOR NUMERO DE PESSOAS DAS COMUNIDADE RURAIS PARA A SEDE PARA FAZEREM NUMERO PARA O COMICIO.
SOBRE ESTES MESMOS 3 CRIMES TENHO UMA INFINIDADE DE FOTOS E VIDEOS,
SILVIO BEMBEM PEDIU QUE NOS FOTOGRAFASSEMOS E FILMASSEMOS TUDO, POIS BEM, PRONTO,
QUASE ME MATO PRA CONSEGUI ESSAS IMAGENS...
E AGORA? FICA ASSIM MESMO? NINGUEM FAZ NADA?
ATE AMEAÇADO EU TÔ...


Comentário do Blogue.


Quando Flávio Dino diz que "ainda vamos instaurar a república no Maranhão" é sobre isso que ele se refere. Aqui, a lei só vale para os fracos, para a oposição, para os que são contra a oligarquia dominante.

Essas imagens valem por sí. Será que o Ministério Público Eleitoral vai fazer alguma coisa ou ainda vai ficar com os olhos fechados para os desmandos dos "donos" do Maranhão?

O companheiro Ranilton Avelar tem todo o nosso apoio e, como cidadão, tem todo direito de se manifestar publicamente contra os desmandos dos fâmulos da oligarquia.





sábado, 11 de setembro de 2010

Empresário divulga nota desmentindo reportagem da revista 'Veja'.


G1.com

O empresário Fábio Baracat divulgou nota na tarde deste sábado (11) na qual desmente reportagem publicada na edição deste final de semana da revista "Veja". Na reportagem, a revista apresenta relato atribuído ao próprio empresário sobre uma suposta negociação com o filho da ministra Erenice Guerra (Casa Civil).

Segundo a revista, para conseguir fechar um contrato da empresa Via Net com os Correios, ele teria feito um pagamento de propina equivalente a 6% do valor do contrato, de R$ 84 milhões. De acordo com a reportagem, a finalidade da suposta propina, intitulada "taxa de sucesso", era "saldar compromissos políticos".

A redação da TV Globo procurou o empresário Fabio Baracat, que, segundo um tio, se encontra em Paris. Por meio do tio, ele enviou por e-mail uma nota de esclarecimento em que afirma: "Fui surpreendido com a matéria publicada na revista Veja neste sábado, razão pela qual decidi me pronunciar e rechaçar oficialmente as informações ali contidas". A revista "Veja" ainda não se pronunciou sobre a nota de Baracat.

Leia abaixo a íntegra da nota do empresário:

"NOTA DE ESCLARECIMENTO

Fui foi surpreendido com a matéria publicada na revista Veja neste sábado, razão pela qual decidi me pronunciar e rechaçar oficialmente as informações ali contidas.

Primeiramente gostaria de esclarecer que não sou e não fui funcionário, representante da empresa Vianet, ou a representei em qualquer assunto comercial, como foi noticiado na reportagem. Apenas conheço a empresa e pessoas ligadas a ela, assim como diversos outros empresários do setor.

Destaco também que não tenho qualquer relacionamento pessoal ou comercial com a Ministra Erenice Guerra, embora tivesse tido de fato a conhecido, jamais tratei de qualquer negócio privado ou assuntos políticos com ela.

Acerca da MTA, há 3 meses não tenho qualquer relacionamento com a empresa, com a qual tão somente mantive tratativas para compra.

Importante salientar que durante o período em que mantive as conversas com a mencionada empresa aérea atuei na defesa de seus interesses, porém o fiz exclusivamente no âmbito comercial, ficando as questões jurídicas a cargo da própria empresa e sua equipe.

Inicialmente, quando procurado pela reportagem da revista Veja, os questionamentos feitos eram no sentido de esclarecer a relação da MTA com o Coronel Artur, atual Diretor de Operações dos Correios, em razão de matéria jornalística em diversos periódicos, nesta oportunidade ratifiquei o posicionamento de que embora tivesse conhecimento de alguns assuntos que refletiam no segmento comercial da empresa (que de fato atuava), não podia afirmar categoricamente a extensão do vínculo dela com o Coronel Artur.

Durante o período em que atuei na defesa dos interesses comerciais da MTA, conheci Israel Guerra, como profissional que atuava na organização da documentação da empresa para participar de licitações, cuja remuneração previa percentual sobre eventual êxito, o qual repita-se, não era garantido e como já esclarecido, eu não tinha o poder de decisão da empresa MTA.

Enfim, na medida que a MTA aumentava sua participação no mercado, a aquisição da empresa se tornava mais onerosa para mim, até que culminou, além de parecer legal negativo, na inviabilidade econômica do negócio.

Acredito que tenha contribuído com o esclarecimento dos fatos, na certeza de que fui mais uma personagem de um joguete político-eleitoral irresponsável do qual não participo, porém que afetam famílias e negócios que geram empregos.

São Paulo,11 de setembro de 2010.

Fabio Baracat"

http://g1.globo.com


COMENTÁRIO DO BLOGUE.


A revista Veja já deu diversas demonstrações do seu golpismo direitista de baixa qualidade. Aquele panfleto neoudenista somente exala o profundo odor fétido dos parasitas das finanças transnacionais, que tanto agrada aos ratos e baratas de plantão.

Está mais do que na hora de realizar um grande esforço e eleger Dilma já no primeiro turno, para demonstrar que a grande mídia golpista pode muito, mas não pode tudo.

A eleição de Dilma abrirá caminhos para a democratrização dos meios de comunicação e controle social da informação. Só assim teremos democracia nesse país.


Filosofia e política.



"É preciso estar atento em relação aos sentidos, pois estes se detêm na aparência das coisas. E também é preciso se precaver quanto às opiniões dos homens, que se baseiam nas aparências. A verdade consiste em captar, para além dos sentidos, o logos (razão, discurso, palavra, lógica) que governa todas as coisas."

Heráclito de Éfeso.

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

A arrogância da oligarquia.




É impressionante a arrogância da oligarquia Sarney.

Convencidos de que estão naturalmente destinados ao poder, ao mando e a serem obedecidos, a família oligarca esbanja seu poder pelo pobre estado maranhense. Vivemos antes da proclamação da república. Aqui, o sobrenome "Sarney" e "Murad" são sinônimos de quem tudo pode, mas é sobretudo o sinal de uma "nobreza" que cresce material e espiritualmente às custas do Estado e do contribuinte.

Ninguém pode ocupar o Palácio dos Leões que não tenha um desses sobrenomes ou a eles não seja submisso. Isso seria contrariar a ordem natural das seculares oligarquias que mandam e desmandam nesse estado esquecido pela nação.

Nessa eleição não interessa nada mais que não seja a pura e simples ostentação do seu próprio poder. Em uma campanha marcada pela escassez de recursos, Roseana Sarney e Ricardo Murad esbanjam dinheiro e fazem questão de não esconder de ninguém. Eles podem, eles mandam.

Reafirmando o poder do mandonismo, um batalhão de asseclas e fâmulos engrossam a fila do "beija mão", retroalimentando a condição de servos que lhe cabem no feudo. Mesmo o discurso mais estapafúrdio, ilógico e fora de qualquer contexto racional, é saudado por esses mentecaptos como a verdade que brotou da terra ou caiu dos céus.

E assim caminha o Maranhão... Sendo o Estado mais pobre da nação, campeão em miseráveis, mas com uma elite mandona e que não se importa em afrontar com seu dinheiro e seu poder a dura realidade do povo.

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Luis Nassif: Esperando o último dossiê do Jornal Nacional.

Para Ricardo Guedes, do Instituto Sensus, não há mais retorno nas atuais eleições. Será impossível ao candidato José Serra virar o jogo, baseado em um dado definitivo: hoje em dia sua taxa de rejeição é superior a 40%.

Os institutos costumam trabalhar com taxas de abstenção e votos nulos da ordem de 20%. Significa que 40% é um corte, representando 50% dos votos válidos. E sem garantir que os 50% que não o rejeitam votarão nele. Enquanto isto, os índices de rejeição à Dilma estacionaram em menos de 30%.

Por outro lado, aumentaram também os índices de rejeição a Marina Silva, sem que tivessem aumentado seus eleitores. Logo, ela não terá fôlego para dividir votos e levar a eleição para segundo turno.

Esse dado é informante para demonstrar o tiro no pé da propaganda negativa de Serra. O índice de popularidade de Dilma depende, em grande parte, de Lula. O de impopularidade de Serra é obra exclusiva do próprio candidato.

Agora, é aguardar o próximo lance, diz Guedes, que, assim como toda a torcida do Flamengo e do Corinhians, sabe que virá na forma de um último dossiê, a ser divulgado pelo Ali Kamel, no Jornal Nacional, nas vésperas das eleições.

São eleições tão previsíveis que a bala de prata será como final de novela. Na véspera do fim da campanha eleitoral gratuita, as pessoas se encontrarão na rua e perguntarão umas às outras: o que você vai fazer hoje? E a resposta será:já compramos cerveja, guaraná e pipoca e vamos reunir os vizinhos para assistir o último dossiê do Jornal Nacional.

Fonte: Blog Nassif