segunda-feira, 10 de maio de 2010

Os neo-roseanistas perdem mais uma dentro do PT.


Os neo-roseanistas do PT maranhense estão cada vez mais isolados. Agora foram os companheiros da corrente Construindo um Novo Brasil (CNB), a mesma do Lula e da Dilma, que declararam apoio à candidatura ao governo do Deputado Federal Flávio Dino (PCdoB- MA). Com isso os neo-roseanistas perdem ainda mais espaços às vésperas de mais uma decisão no arraial petista.

Por outro lado, a decisão de alguns setores da direção nacional do PT em mudar as regras ao longo do jogo, não agradou nem aos sarneístas com pedigree, que chegaram a chamar José Eduardo Dutra, presidente nacional do PT, de "Pôncio Pilatos" - em referência ao general romano que nada fez para salvar Jesus Cristo da crucificação - nem aos novos sarneístas de carteirinha, que vivem dizendo que vai haver intervenção do nacional para salvar seus empregos.

Dessa forma, os neo-roseanistas aprofundam ainda mais o erro que os levaram às últimas derrotas políticas. Isolados dentro do partido no Maranhão e a cada dia perdendo militantes e quadros políticos experientes, os novos sarneístas também ainda não se sentem confortáveis na casa grande, e vira e mexe recebem bordoadas dos neo-aliados.

Fernando 'Xetrepa' Silva se assusta até com a sombra!

Em uma carta intitulada "Em respeito aos trabalhadores da educação", o ex-dirigente sindical e atual neo-roseanista, cria o maior estardalhaço com as declarações do Sindicato dos Professores sobre seu afastamento para assumir emprego no governo. A carta despropositada só demonstra o quanto Fernando Silva está assustado com sua nova condição de "patrão" da categoria dos professores. Até ontem defendia os trabalhadores e atacava o governo Roseana, hoje está do outro lado da mesa, defendendo os interesses do patrão.

O movimento sindical tem uma dinâmica própria, com suas especificidades e cultura internas. Quem passa para o lado do patrão de 'mala e cuia' é inexerovelmente chamado de "pelego"! Talvez esse seja o maior medo de Fernando 'Xetrepa'. Se Fernando Silva vai ficar conhecido pelo resto da vida como "pelego sarneísta" não é uma questão teórica, mas sim prática. Vai depender de como ele vai encarar os professores nas ruas exigindo seus direitos.

O que se escuta dentro da categoria é que Roseana indicou os petistas para servirem de anteparo as movimentações que se aproximam. Também se escuta cada vez mais forte que os professores devem ir às ruas e exigir seus direitos e, se não forem atendidos, devem cruzar os braços por tempo indeterminado.

Aí sim, na prática, veremos a quem vai servir a carapuça de pelego.

4 comentários:

  1. Eu acredito que a entrada da 'oposição' no governo é a oportunidade de eles tentarem mudar o que não lhes agrada, eles tem o poder de argumentar e modificar alguma coisa lá, isso não deveria ser visto como negativo e sim como positivo. A integração da dita oposição tem mais benefícios do que malefícios. Pq agora ela tem um representante dentro do governo.

    ResponderExcluir
  2. Caro Alexandre.

    A questão central não é participar ou não participar de governos, mas quando? Como ? E onde? Participar.

    No caso dos neo-roseanistas a hora não poderia ser pior, pois vivenciamos a degradação do regime oligárquico que afundou esse estado na miséria.
    Como participam desse governo? Depois de perderem a conferência estadual que negou a aliança com Roseana Sarney mas, mesmo assim, contrariando decisão do partido, foram atrás de emprego no estado.
    Onde? Principalmente na Secretaria de educação, onde os professores estão em pé de greve e o secretário não tem força nenhuma para cumprir o que promete.

    Portanto, a oposição não tem representantes no governo, mas o governo tem mais funcionários a seu serviço!

    Saudações.

    ResponderExcluir
  3. E o que dizer de Flávio dino, que fez de tudo para dar uma "forcinha" à famigerada lei do cão? Inclusive fazendo loby. Eu creio que os professores ainda não esqueceram o episódio. E não esqueça que quem entrou com ação no Supremo contra a lei foi o PMDB.
    Ricardo

    ResponderExcluir
  4. Caro Ricardo.

    Essa estória de que Flávio Dino "ajudou" a "lei do cão" é uma invenção do sistema mentira de comunicação. Assim como tantas outras.

    A verdade é que foi a direção do Sindicato que chamou aquela greve e vai chamar de novo.

    Mas um motivo para greve: o PMDB derrubou a 'lei do cão', mas agora que está no poder nada faz para implementar a carreira dos professores.

    O oportunismo do PMDB e o apoio do Flávio Dino aos professores devem ser demonstrados na prática, isto é, com os professores nas ruas exigindo seus direitos.

    É só assim que nós vamos ver quem é quem na defesa dos professores.

    Saudações.

    ResponderExcluir

Seu comentário será publicado após moderação.