sábado, 20 de fevereiro de 2010

Resolução nacional sobre a política de alianças do PT favorece opção pela esquerda popular no MA.

Dilma Rousseff discursa no 12º Congresso Nacional do PCdoB. (foto: Marden Ramalho).



Ao contrário dos que diziam que a direção nacional do PT ia "enquadrar" os partidos nos estados para favorecerem aliança com o PMDB, o Congresso Nacional do PT fez foi aprovar por ampla maioria resolução que diz que "a continuidade do nosso projeto está vinculada à nossa capacidade de fortalecer um bloco de esquerda e progressista, amparado nos movimentos sociais, intelectuais e todos os setores comprometidos com o projeto de desenvolvimento implementado pelo governo Lula". Portanto, as ilações da atrasada oligarquia sarneísta e de seus novos e velhos fâmulos pela prioridade ao centro, ao PMDB, não passavam de uma torcida organizada de quem está completamente por fora do pensamento nacional exposto no congresso petista.
A premissa do "enquadramento nacional" está descartada para os que defendem a aliança com a atrasada oligarquia Sarney em nosso estado. Descarta-se também a premissa do imperativo do palanque único nos estados. Sobre esse ítem o documento é claro:"Devemos envidar todos os esforços no sentido de buscarmos candidaturas unitárias aos governos estaduais. Onde isso se revelar politicamente impossível, devemos construir um acordo de procedimentos durante a campanha, que permita a existência de dois palanques para a candidatura presidencial". O debate deve ser decidido nos estados e a responsabilidade pela escolha é exclusivamente local, respeitando apenas a prioridade da eleição da Dilma Rousseff.
Então o que resta do argumento dos que são a favor de uma aliança com as atrasadas oligarquias maranhenses? É preciso, portanto, que apresentem novas premissas, porque as ideológicas já perderam. Devem tomar cuidado também para não perderem o próprio debate político, esvaziado pelo pragmatismo dos interesses imediatos.


Segue abaixo link do documento aprovado no Congresso Nacional do PT.

http://deputadoflaviodino.blogspot.com/2010/02/resolucao-sobre-politica-de-aliancas-do.html

4 comentários:

  1. Meu querido filosofo, ou vc não leu a resolução ou precisa de alguem que a traduza. Sugiro uma volta ao curso de interpretação.

    ResponderExcluir
  2. Querendo ao não Cristiano o Partido dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil possui forte amparo ideológico. Acredito que todos ficaram temerosos com essa possibilidade que os setores mais conservadores do partido (a corrente majoritária) em conluio com o PMDB tentassem “disciplinar” a legenda nos Estados.
    Particularmente não acreditava que essa possibilidade se concretizasse... e para o alívio de “todos” que compõe o campo democrático de esquerda e progressista da política brasileira o chamado "enquadramento nacional" não aconteceu.
    Os desafios são muitos... Mas, é com confiança em dias melhores que devemos lutar! Com perseverança e muito amor no peito...

    “Correndo o risco de parecer ridículo, deixem-me dizer-lhes que o verdadeiro revolucionário é guiado por grandes sentimentos de amor." (Che Guevara)

    ResponderExcluir
  3. Caro Frednan.

    O PT é o maior partido da esquerda brasileira e captaneou as principais transformações por qual passa nosso país. Não tem como negar o amparo ideológico do PT, vinculado ao "socialismo democrático".

    No meu entender, e foi isso que expressei no texto, a resolução nacional sobre alianças para 2010 reflete esse lado ideológico e democrático.

    Aqui no MA foi clara a tentativa dos setores conservadores da política local em querer que a aliança com o PMDB viesse 'de cima para baixo'. E não foi isso que aconteceu.

    Che Guevara estava certo quando pronunciou essa frase.

    Saudações.

    ResponderExcluir
  4. Sr. Anônimo.

    Uma das coisas que nós aprendemos ao estudar filosofia é que os textos recebem a ótica do leitor e são apropriados ou reconstruídos conforme essa leitura.

    Portanto, se vc enxerga no texto uma aliança com as atrasadas oligarquias maranhenses paciência!

    Na minha humilde interpretação está aberta a possibilidade de uma aliança com os setores de esquerda, progressistas e com os movimentos sociais. Além da possibilidade de haver dois palanques para Dilma.

    Saudações.

    ResponderExcluir

Seu comentário será publicado após moderação.