sábado, 6 de fevereiro de 2010

PSEUDOPESQUISA SENSUS FAZ A FESTA DA IMPRENSA "CHAPA BRANCA"!


O professor, pesquisador e historiador da UFMA, Wagner Cabral, enviou mensagem questionando os números da última pesquisa Sensus sobre a sucessão estadual. De fato, os argumentos do professor apontam para uma série de elementos que põe a referida pesquisa sob suspeição.

A quem interessaria essa pesquisa com fortes indícios de suspeição? Ora, pelo alvoroço que ela causou na imprensa "chapa branca" (e em outros com interesses inconfessáveis), fica claro que a "pesquisa" está dentro da campanha que a oligarquia Sarney move contra a candidatura dos setores progressistas, democráticos e de esquerda representada pelo deputado federal Flávio Dino! A pesquisa praticamente repete a intenção de votos de outubro do ano passado, quando a indefinição no quadro político era bem maior. A idéia central da pseudopesquisa é desencorajar setores a aderirem à candidatura Flávio Dino, além, é claro, de mostrar a vitória tranqüila de Roseana Sarney.
Pelo menos em um dos blogs, o do jornalista Walter Rodrigues, a matéria foi retirada para maiores averiguações. Atitude coerente frente a tão consistentes objeções. Sugiro que os 'blogueiros' façam o mesmo, sob pena de difundirem uma grande armação!

Segue abaixo às objeções do professor Wagner Cabral.

"Caros amigos,

compartilho algumas preocupações referentes à recente divulgação de pesquisa sobre a sucessão estadual no Maranhão, pelos blogs de Walter Rodrigues (em 04/02/2010, depois retirada do site) e Marco d´Eça (05/02/2010).

1) o site do Instituto Sensus (www.sensus.com.br) não menciona qualquer pesquisa sobre sucessão no Maranhão.

2) O Sensus apenas registra a pesquisa CNT/Sensus realizada mensalmente para avaliação do governo federal, da popularidade do presidente e da sucessão presidencial. Pesquisa também mencionada no site da CNT (www.cnt.org.br).

3) A supra citada pesquisa CNT/Sensus foi registrada no TSE com o protocolo 1570/2010, citado impropriamente no blog de Marco d´Eça como sendo o número da pesquisa referente ao Maranhão.

4) No site do TSE, seção de Pesquisas Eleitorais, só encontra-se registrada a pesquisa nacional Sensus (1570/2010) , disponibilizando inclusive o questionário que foi aplicado. Da leitura do questionário, vê-se que não existe qualquer pergunta referente a sucessões estaduais.

5) A metodologia da pesquisa nacional CNT/Sensus foi a seguinte: 2.000 entrevistas, ponderadas pelas 05 Regiões e para 24 Estados, com o sorteio aleatório de 136 Municípios por representatividade de grupos populacionais.

6) No maranhão foram realizadas apenas 66 entrevistas, assim distribuídas: Caxias (14), Santa Inês (14), São Bento (16), São Luís (10), São Mateus do Maranhão (12). Uma amostra significativa para uma pesquisa nacional, mas insuficiente para uma pesquisa sobre a sucessão estadual.

Do exposto, ficam as questões, à luz da ética política e da legislação eleitoral:

a) houve de fato essa pesquisa sobre sucessão estadual, feita pelo Instituto Sensus? Foi a mesma realizada para a sucessão presidencial ou outra?

b) se houve, a pesquisa foi registrada no Tribunal Eleitoral? no TRE ou TSE?

c) se houve, onde estão disponíveis os dados, metodologia e questionário aplicados?

d) ou trata-se de pesquisa reservada, confidencial? a qual deveria ter recebido um outro tratamento jornalístico? qual a fonte utilizada pelos jornalistas?

Até que estes pontos estejam devidamente esclarecidos, mantenho minha opinião, enquanto pesquisador, de que a pesquisa Sensus sobre a sucessão estadual do Maranhão encontra-se, no mínimo, SOB SUSPEIÇÃO".

Atenciosamente,
Wagner Cabral
Historiador / UFMA

8 comentários:

  1. Caro Cristiano,
    Vou fazer uma pequena ilustração do desempenho eleitoral da governadora no primeiro turno da eleição de 2006.
    São Luís (615.977 eleitores) colocação 2º com 32,26% dos votos;
    Caxias (91.158 eleitores) colocação 1º com 45,79% dos votos;
    Bacabal (60.551) colocação 1º com 43,23% dos votos;
    Santa Inês (91.158) colocação 2º com 40,76% (diferença de 0,24, praticamente um empate);
    São Mateus (25.140) colocação 1º com 56,13% dos votos;
    São Bento (23.571) colocação 1º com 35,80% dos votos.
    Somando os municípios do continente temos: 201.261. Enquanto São Luís 615.997. O Maranhão, na época, 3.920.608 eleitores aptos.
    Para saber a validade estatística de uma amostra, a margem de erro e confiança... é só entregar os dados para um estatístico que faz os cálculos rapidinho.
    Quem minimamente entende de proporção vai perceber algumas complicações aí.
    Enfim, quero destacar a sorte da governadora para números sorteados. Veja que só São Luís... é desfavorável... e mesmo tendo 3 vezes mais o eleitorado do restante dos municípios pesquisados, só foram aplicados 10 questionários...
    Considero que análise do professor nos leva a pensar sobre a legalidade de tal divulgação.

    ResponderExcluir
  2. OI Cristiano
    Não tem como duvidar que essa suposta "pesquisa" não é pesquisa alguma, mas parte do jogo malandro do grupo Sarney para criar confusão nos eleitores com objetivo de fortalecer uma "liderança" de Roseana na "pesquisa".
    Bom, todo castelo de areia se desfaz. A realidade é concreta, mas temos que ficar atento com a teoria de Goebbels, ministro da propaganda nazista, que tinha uma máxima ao dizer "quando se repete uma mentira muitas vezes, ela se torna verdade". O Maranhão não deixar que se torne verdade esse factoide mentiro da imprensa governista nativa.

    ResponderExcluir
  3. Caro Robson.

    De fato é de se estranhar a "liderança" de Roseana nas pedsquisas uma vez que seu grupo usa dessas artimanhas. Para mim isso é uma tentativa de mostrar força mas que acaba mesmo é demonstrando fraqueza!

    Estamos atentos. Agradecimentos ao professor Wagner Cabral que investigou e descobriu a maracutaia!

    Saudações.

    ResponderExcluir
  4. Caro Chico.

    Tenho observado em seu blog que vc anda se ocupando com os números eleitorais. Isso me lembra o saudoso professor Caldeira que fazia comparações a partir de resultados das eleições. Ele foi um dos primeiros a observar o constante declínio de votos do grupo Sarney ao longo das últimas eleições para governador.
    Acho interessante trabalharmos com esses números, eles podem nos dizer o que fazer em determinadas circunstâncias.

    Quanto à pseudopesquisa da Sensus só mostra o grau de preocupação do grupo dominante com seu projeto de poder! Parece que as coisas não andam tão bem quanto dizem!

    Saudações.

    ResponderExcluir
  5. O máxima que deve ter acontecido foi a publicação de uma pesquisa com data com data mais antiga. Não vejo erro algum nisso! Se o jornalista quis repercutir isso agora, isso é um direito que ele tem. No mais, não me recordo de ter lido no Marco d´Eça qualquer qualquer menção quanto às data dos resultados . Mas duma coisa eu estou certa: que a nossa governadora estpa na crista da onda, ela está! Nem é preciso de Sensus algum para perceber isso.

    ResponderExcluir
  6. Srª Émile.

    Exitem regras para a publicação de pesquisas. Ficou claro a má fé e a tentativa de induzir leitores e eleitores ao erro!

    Quanto à governadora estar na "crista da onda"... Só se for de uma tsunami, que com certeza trará grande destruição ao nosso sofrido estado.

    Saudações.

    ResponderExcluir
  7. A governadora teve sorte porque imperatriz, não saiu nesse sorteio se tevesse incluido
    seria o maior vechame. ai é q a fraude seria
    mais q visivel.

    ResponderExcluir
  8. Na verdade parece que nem houve a tal pesquisa... Foi tudo armação para demonstrar que Roseana está na frente e sua vitória é inexorável !!!

    Uma lástima !!

    ResponderExcluir

Seu comentário será publicado após moderação.