sábado, 9 de janeiro de 2010

Compras dos caças: "a decisão é geolpolítica" afirma presidência.

Caça francês Rafale.

A pseudo-crise que a mídia fâmula do imperialismo, as "viúvas de 64" e meia dúzia de desinformados tentaram criar foi por água abaixo! O vazamento criminoso do relatório da FAB sobre as questões "técnicas" das aeronaves só serviu para o governo ratificar sua escolha geopolítica pelo caça francês Rafale.

Para o Planalto, o dado mais relevante dos relatórios técnicos é a inexistência de veto aos três concorrentes. Desde o início do F-X2, outros três caças foram riscados pela FAB. O argumento definitivo, do ponto de vista da Presidência, não está presente na análise técnico-militar, mas na avaliação de políticas estratégica e industrial. Nesse quesito, o Rafale não teria rival. O pacote que começa com 36 unidades envolverá a compra de um total de 120 caças. Nesse plano, há três exigências: transferência de tecnologias, reserva de mercado e soberania irrestrita de uso das aeronaves.


Muito diferente da época neoliberal de FHC (PSDB), onde o projeto F-X1 foi empurrado com a barriga até sua extinção e as compras de armas não podiam contrariar os interesses norte-americanos. Nessa época ficou nos anais da diplomacia brasileira o caso em que o ministro de Relações Exteriores, Celso Lafer, teve que tirar os sapatos para entrar nos EUA, sinal da máxima subserviência que o governo tucano tinha com o império do norte.

Mas o tempo agora é outro. De maneira altiva o governo trabalha com o fortalecimento da autonomia política e militar, o que poderá resultar na consolidação de pactos internacionais múltiplos e soberanos, fora da esfera norte-americana, e que possam aumentar a capacidade de defesa de nosso país sem a dependência de decisões externas.


É exatamente por isso que a oposição neoliberal tentou, tentou e mais uma vez não conseguiu impedir a nação de trilhar seu caminho no rumo da igualdade, da soberania e da liberdade.

Brasil 1 x Entreguistas neoliberais 0.

7 comentários:

  1. ...apesar da questao tecnica..se a França nos vai ajudar:
    1)ter uma cadeira no conselho di segurança da ONU
    2) reforçar a diplomacia com países africanos..
    3) ter uma tecnologia que no seja NORTE AMERICANA
    ...ai valeu.
    Espero quem o próximo presidente vai a comprar dos franceses.

    ResponderExcluir
  2. Dezenas e dezenas de comendas da "legion d'honneur" serão distribuídas aos acólitos do Apedeuta.Jobim já recebeu. Milhões de francos franceses salvarão os cumpanhêro de uma vida de ostracismo no ABC.A esquerda brasileira adora a "rive-gauche".
    Paulo Celso Daniel

    ResponderExcluir
  3. Sr. Paulo Celso Daniel.

    Desde a II guerra que compramos armas obsoletas dos norte-americanos. Quem ganhava com isso? Serão os golpistas de 64? Ou algum general de pijama? Ou era só a submissão natural dos apátridas?

    O fato inconteste é que agora teremos transferência de tecnologia e a maior demonstração é sem dúvida a cosntrução do submarino nuclear.

    Os norte americano JAMAIS nos forneceriam essa tecnologia por um simples motivo: eles são nossos inimigos estratégicos!

    Portanto, ao contrário dos "cabeças de planilha" do neoliberalismo, o novo desenvolvimentismo nacionalista procura reafirmar de maneira soberana e independente os interesses da nação.

    Saudações.

    ResponderExcluir
  4. Caro Sr. Valerio.

    É justamente essa ação independente e altiva do governo brasileiro que incomoda os EUA e seus "lambe botas" locais. Sem dúvida que uma reconfiguração do Conselho de Segurança nos interessa. A aliança com a França passa por aí.

    Mas o fato de nós termos acesso a um avião de 4º geração, com transferência de tecnologia, e um submarino nuclear - que é um projeto que nem os militares conseguiram executar - com ajuda francesa, foi um gol de placa do governo Lula, aproveitando-se das contradições interimperialistas.
    Esse é o caminho certo da diplomacia brasileira.

    Saudações.

    ResponderExcluir
  5. tuas palavras retratam a pura má fé desta dita esquerda, que, de fato, é um tucano vermelho. Brasil 1 a zero no neoliberalismo, porque compraremos Rafale da França? Conheces a França? Já morei lá, um bom tempo, e sei do frio e do calor da Republique.sEI TAMBÉM DA PROPOSTA imperial de Sarko. estive na Place d'Italie com os imigrantes ilegais, num frio, sob as porradas da POLICE NATIONALE, sob a neve imunda que afoga a miséria parisiense, que é a miséria do mundo. Sou imigrante ainda. Na verdade, estou hoje nesse frio, vendo desta janela a esperança equilibrista, com um monte de lacaio da ordem, como vocês, que recebem um trocado para falar um monte de besteira e se achar intelectual do trópicos perdidos. E sei também que destroçaram o norte da África. A França, caro, é um império regional, com demandas de produtos tropicais, como antigamente, precisando de idiotas tucanos ou estrelados, para vender barato e comprar caro.De fato, a esquerda brasileira gosta da Rive Gauche, gosta dos vinhos de beaujolais e de enganar os SEM TERRA, OU SEM TETO, os pobres do campo e da cidade.Trocar um imperialismo saxão por um gaulês não significa nada, nada mesmo. Armas obsoletas,segunda guerra...França, Sarko... Com vocês, "comunistas" de merde, NOUS SOMMES FOUTUS, TOUT FOUTUS...

    SEUS DIAS DE RIQUEZA ESTÃO CONTADOS!!!

    ResponderExcluir
  6. Caro anônimo perseguido pela police nationale.

    Não sou trotiskista, por isso não quero exportar a "revolução" para a França e nem para qualquer país. Serão os franceses, os norte americanos e os brasileiros que terão que encontrar seus próprios meios para atingir sua liberdade. Só um cretino idiota não sabe que Sarkozy é um direitista que flerta com o fascismo. Mas Sarkozy não é a França, assim como FHC não era o Brasil. Não vai ser nós, brasileiros, que vamos desembarcar na Normandia e levar a 'liberdade' para a França. Se vc quer ir... Boa viagem..."Vai indo que eu não vou"...!!!

    Se vc não compreende a política na sua dimensão internacional, onde as nações assumem o papel preponderante perante os sujeitos, então vc está aquém desse debate, compreendendo o mundo somente como um "somatório de indivíduos", típico do individualismo metodológico liberal.Nesses termos é melhor vc voltar a discutir política de condomínio: "talvez o síndico precise melhorar"...

    A opção pela França é, sob todos os aspectos, melhor que a submissão aos anglo-saxões. O Brasil se aproveita das contradições interimperialistas para obter tecnologias e apoios políticos. Ponto! Coisa que nunca tivemos do irmão do Norte. Ponto! A "aliança estratégica " com a França vai até onde der. Ponto! E finalmente não é a França que nos ameaça do ponto de vista estratégico. Ponto.

    Vc já demonstrou não ter capacidade de discutir geopoliticamente. E, agora, demonstra também não ter a minima capacidade de debater qualquer idéia que seja difertente da sua, além de ser um mal educado e medroso, uma vez que se esconde no anonimato para atacar os outros com palavras de baixo calão.

    Por isso, pela primeira vez, vou censurar seus comentários idiotas.

    Quanto aos meus dias de "riqueza" eles jamais vão acabar... Pois minha riqueza é espiritual !!!

    Passar bem e cuidado com o coração !!!

    ResponderExcluir
  7. é triste ver tanta burrice como nacionalista desejo que nossos pilotos da nossa força aeria possa ter um caça de guerra em condições de enfrentar qualquer inimigo que queira invadir nosso espaço aerio esse caça é o su35bm Russo com autonomia de vol do iapoque ao chui sem abastecimento carregando 6 toneladas de armamentos esse os EUA teme os outros são absoletos queria entender por que eses caças não foram escolhidos, quanto isso a china e a india compraram dos Russos com transferencias de tecnologia

    ResponderExcluir

Seu comentário será publicado após moderação.