terça-feira, 28 de abril de 2009

O 'Sistema da Ciência' de Hegel.

O filósofo alemão G.W.F. Hegel tinha como projeto fundamental da maturidade a construção de um programa de pesquisa filosófico intitulado “O Sistema da Ciência”, onde deveria surgir uma nova filosofia que superasse as cisões que o idealismo alemão anterior (Kant, Fichte e Schelling) não conseguiu resolver. Tal programa nunca chegou a ser concluído. Ficaram para a posteridade apenas as execuções incompletas de duas de suas partes, o prefácio e a introdução, também conhecida como Fenomenologia do Espírito, de 1807, e a Lógica, a Filosofia da Natureza e a Filosofia do Espírito, todos reunidos na Enciclopédia das Ciências Filosóficas, de 1817.
Ao depararmos com o grandioso projeto do filósofo alemão perguntamos: há fundamentos racionais para essa pretensão? Como falar de sistema e totalidade mesmo depois do criticismo kantiano? Identificamos na introdução e na Lógica da Enciclopédia quatro linhas de investigação que sustentam suas pesquisas: α) a exigência de superar a adequação do Ser ao pensamento condicionado pelos princípios aristotélicos da identidade, não-contradição e do terceiro excluído, abrindo espaço para uma racionalidade especulativa do Devir. β) Crítica da ‘faculdade do entendimento’ kantiana, que apenas separa e classifica os elementos à sua disposição, favorecendo as cisões entre liberdade e necessidade, razão e sensibilidade, subjetividade e objetividade. γ) Uma nova ação da razão, como atividade que unifica e relaciona o que o entendimento separa, criando pela reflexão as condições de possibilidade para uma totalidade de relações de pensamentos. E, por último, δ) a compreensão de que a totalidade de pensamentos, por sua própria natureza conceitual, é uma totalidade de contrários, pois é onde as particularidades se identificam nas suas diferenças, tornando a identidade dos contrários - a imanência do universal no particular – o agir produtor do filosofar, cuja finalidade é ser sistemático e universal.

3 comentários:

  1. É isso aí Capovilla! Ótimo o Blog, com artigos interessantes e coerentes. Parabéns!!!

    ResponderExcluir
  2. Iaí grande Capo, a Dialética agradece pelas suas lúcidas interpretações filosóficas, beleza. Luis Alfredo

    ResponderExcluir
  3. Obrigado meus camaradas !!!

    Vocês são sempre bem vindos !!!!

    ResponderExcluir

Seu comentário será publicado após moderação.